20 de Abril de 2018

Não é segredo para ninguém que as pessoas são os maiores ativos das empresas. Desafios diários são enfrentados pelos departamentos de recursos humanos, na busca incessante de meios para motivar os seus funcionários e consequentemente evitar o turnover.

Segundo um estudo divulgado pela CNI, 54% dos brasileiros saíram do seu último emprego por vontade própria, seja pedindo demissão, forçando a demissão ou pedindo para ser demitido. Esse número reflete o tamanho do desafio de gestores para reter seus talentos e evitar os problemas decorrentes da rotatividade dos funcionários.

A pergunta que muitos fazem para tentar resolver esse problema é simples: “Como diminuir a vontade das pessoas de deixarem a nossa empresa?” O que não é simples é a resposta para essa pergunta. Será que devemos oferecer mais treinamentos, aumentar salários, implementar políticas de job rotation, aumentar o PLR, fazer de tudo um pouco?

Não existe uma receita de bolo que possa sanar todos esses problemas, afinal cada tipo de negócio tem a sua particularidade e cada empresa tem uma realidade distinta. O importante mesmo é conhecer os seus funcionários e tentar prever o risco que cada um tem de deixar a organização, baseado nos dados disponíveis.

Coletando os dados

A primeira etapa de qualquer estudo é colher o máximo de informações possíveis de forma estruturada.

Empresas com áreas de RH mais maduras já possuem algumas formas de coletar os sentimentos dos empregados atuais e daqueles que já saíram. As pesquisas de clima organizacional, avaliações 360º e pesquisas demissionais são alguns exemplos de como coletar informações valiosas para conhecer melhor os seus funcionários.

É muito importante que todos os dados coletados sejam guardados de maneira estruturada para serem consumidos posteriormente. Sistemas de gestão empresarial (ERP) ou softwares especializados em gestão de RH podem auxiliar no desenvolvimento das pesquisas e no armazenamento dos dados.

Não basta, entretanto, apenas aplicar as pesquisas sem que isso tenha efeito prático. Afinal expectativas são geradas nos funcionários e se nenhuma ação é tomada as consequências podem ser desastrosas. Portanto, além de armazenar os dados é preciso analisá-los profundamente, tentar descobrir padrões, entender o que os funcionários realmente estão pedindo para assim desenvolver planos de ação que façam sentido e surtam os efeitos desejados para a organização.

Descobrindo seus dados

Antigamente para tentar entender padrões utilizando estatística era necessário despender muito tempo analisando as variáveis do problema e posteriormente construindo códigos que pudessem revelar, por exemplo, a probabilidade de algum funcionário pedir demissão. Para chegar a esse tipo de análise apenas profissionais altamente especializados com conhecimentos estatísticos/matemáticos, conhecimento em programação e conhecimento de negócio eram capazes de promover tal estudo e entregar algum resultado para os gestores de RH.

Felizmente, a tecnologia evoluiu a passos largos e, agora, gestores que possuem apenas o conhecimento de negócio também podem aplicar algoritmos estatísticos para desvendar os mistérios por trás de seus dados. Isso é possível graças a uma tecnologia de Machine Learning Automatizado que vem ganhando espaço no mercado ao entregar o poder estatístico e preditivo nas mãos dos usuários de negócio.

Uma solução chamada DataRobot®, líder de mercado para a tecnologia de Machine Learning Automatizado, é capaz de entender os seus dados, sugerir os algoritmos que melhor se aplicam ao seu problema e determinar, por exemplo, a probabilidade de seus funcionários deixarem a companhia com um simples clique de um mouse. É possível, ainda, entender as razões pelas quais existe determinada probabilidade de saída para cada um dos funcionários em estudo.

Tomando Providências

Após alguns dias, e não mais meses, um gestor terá todas as informações relevantes para tomar as medidas necessárias, visando diminuir os riscos de perder funcionários valiosos, garantindo, assim, a continuidade dos negócios da empresa.

É necessário lembrar que o ambiente empresarial muda de tempos em tempos e, por isso, é de fundamental importância que os planos de ação sejam revistos com certa periodicidade. Essa revisão deve continuar embasada por motivos concretos, que podem ser identificados pelos gestores que têm acesso à tecnologia de Machine Learning. Logo, é importante fazer do ciclo de análise e ações uma rotina em sua empresa.

                         Passos do ciclo de análise e tomada de ações

 

Não deixe que motivos desconhecidos coloquem os negócios da empresa em risco. Mantenha seus funcionários engajados pelos motivos certos, evite despesas desnecessárias e faça sua companhia prosperar.

 

Descubra seus dados com o DataRobot e potencialize suas análises.

 

 

 

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER